Superintendente da Agricultura garante cessão do Terminal Pesqueiro para o Estado

A Superintendência Federal da Agricultura (SFA) do Rio Grande do Norte garantiu a cessão do Terminal Pesqueiro Público (TPP) de Natal para o Governo do Estado. A cerimônia de cessão foi realizada nesta terça-feira (19).

O superintendente Getúlio Batista explicou que os assuntos relacionados à pesca foram transferidos do Ministério da Agricultura para o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC) desde 20 de junho. E que, por isso, seria necessário iniciar um novo processo de cessão junto ao novo ministério, mas que conseguiu manter a cessão que vinha sendo negociada para garantir a conclusão da obra.

“Tivemos um longo trabalho junto aos ministérios para garantir essa cessão desde que a Pesca saiu da Agricultura para a Indústria e Comércio, mas ficamos felizes em saber que conseguimos garantir essa cessão de olho no desenvolvimento econômico do Estado”, explicou.

O terminal pesqueiro está com as obras 95% concluídas. As obras foram paralisadas em 2011 após indícios de irregularidades e não foram retomadas por falta de orçamento. A estimativa é que o terminal gere cerca de 2.700 empregos formais e até 6 mil em toda a cadeia produtiva.O valor final da obra é cotado em R$ 36,6 milhões. O Terminal Pesqueiro de Natal terá capacidade de armazenar mais de 100 toneladas de peixes.

 

Robinson defende a integração dos estados do Nordeste para fomentar a economia

RF

O governador Robinson Faria foi um dos painelistas do Diálogo Público Nordeste 2030, realizado durante todo o dia desta terça-feira(21), em Fortaleza, Ceará. O evento, organizado pelo Tribunal de Contas da União (TCU), teve o objetivo de apresentar a visão de diferentes atores sobre os desafios e as possíveis soluções para o desenvolvimento sustentável da região. A reunião, da qual participaram todos os governadores, resultou em um documento técnico prospectivo neste sentido.

“O ineditismo que estamos vivenciando neste dia aqui em Fortaleza é histórico. E nós, como governadores, queremos agradecer por essa parceria construtiva, pedagógica e cooperativa com o Tribunal de Contas da União”, destacou Robinson Faria. O chefe do Executivo potiguar participou do painel 5, o último da tarde, acompanhado pelo governador da Paraíba, Ricardo Vieira Coutinho, e pelo Ministro do Tribunal de Contas da União, Benjamin Zymler.

Respondendo perguntas dos participantes, Robinson defendeu a integração dos estados na infraestrutura, o que ajudará a fomentar a economia do Nordeste como uma unidade. Isso em relação, principalmente, ao escoamento do que é produzido nos estados. “Não podemos deixar nossas riquezas adormecidas, esperando anos pela construção de caminhos para sua distribuição”, assinalou, usando como exemplo a energia eólica, que ainda aguarda a conclusão de linhas de transmissão.  “É preciso união do Nordeste para diminuir o desequilíbrio da região em relação ao restante do Brasil”, continuou.

O governador do RN destacou também que a divida dos estados nordestinos com a União é pequena e que esse aspecto deveria gerar benefícios à região, e reclamou da desigualdade na distribuição de recursos e responsabilidades entre a Federação, Estados e Municípios.  “A reserva do fundo penitenciário não chega aos estados”, ilustrou.

Sobre o que já está sendo feito no Rio Grande do Norte, Robinson citou o Plano Estadual da Educação, aprovado no início deste ano. Ainda falou sobra a elaboração do Plano Plurianual (PPA) com participação popular; do projeto Governança Inovadora, que traz um novo padrão de gasto público e uma nova filosofia de gestão com metas; e do Parque Tecnológico do RN, que será um vetor importante na geração de emprego e no fomento das cadeias produtivas do RN.

O diálogo, que contou com um público de cerca de 300 pessoas, era voltado para gestores da administração pública federal, estadual e municipal, auditores, setor produtivo, sociedade civil organizada, acadêmicos, entre outros.

Em meio a tantas crises, Michel Temer demonstra incapacidade de governar

michel

Todo dia, uma crise. Se for tomar uma decisão drástica, toda vez que tiver notícia negativa, o governo acaba em duas semanas.”

Duas semanas é um eufemismo. Se continuar como está, até entre senadores do próprio PMDB, uma coisa é certa: o governo não chega ao fim do mandato.

A declaração acima, de um peemedebista do Palácio do Planalto, parece não perder a validade. Antes mesmo da posse, o governo do presidente em exercício Michel Temer já sofria críticas e estava afogado em denúncias e polêmicas.

O primeiro passo do peemedebista foi montar um ministério sem mulheres, negros e com nove envolvidos na Operação Lava Jato – dois investigados e sete citados. Um deles – Romero Jucá, do Planejamento – foi afastado uma semana e meia após a nomeação.

A troca de farpas com a presidente afastada Dilma Rousseffe a nomeação para a Secretaria da Mulher, Fátima Pelaes, que é contra o aborto mesmo em caso de estupro e está envolvida em escândalo de corrupção, ajudaram a piorar a imagem do governante interino.

O reajuste do Judiciário foi considerado a primeira derrota da principal aposta de Temer, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.

Embora tenha garantido que há condições de arcar com os gastos, Meirelles reclamou que, no momento em que pede a todos que apertem as contas, o governo arma um rombo de R$ 56 bilhões no Orçamento.

Mas o que realmente preocupa é a Operação Lava Jato. Ela torna o governo Temer insustentável.

A “sangria”, como Romero Jucá classificou a operação, atinge as principais figuras do partido de Temer, cada dia com uma novidade.

Os pedidos de prisão de Romero Jucá, do presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e o de tornozeleira para o ex-presidente José Sarney mostram que o cerco está se fechando.

Na avaliação de um peemedebista do Senado, na hora que a Lava Jato entrar no Planalto, vai ser difícil segurar o estrago. Tanto o ministro da Casa Civil, Eliseu Padilha, quanto o da Secretaria de Governo, Geddel Vieira Lima, são citados na operação.

O problema é que, no Senado, os próprios aliados de Temer não entendem a postura do presidente em exercício.

Ele diz que não é para aumentar os gastos e patrocina o reajuste do Judiciário; afasta Jucá, mas mantém Henrique Eduardo Alves no Ministério do Turismo, mesmo com o despacho do procurador-Geral da República, Rodrigo Janot, que diz, pela primeira vez, que o ministro atuou para receber recursos desviados da Petrobras.

Por HuffPost Brasil

Senadores defendem PEC por eleições presidenciais em outubro

Cópia de Dilma e Temer Pedro Ladeira_Folhapress

Do G1 – Um grupo de senadores anunciou nesta segunda-feira (18) que vai apresentar uma proposta de emenda à Constituição (PEC) para que eleições presidenciais sejam realizadas em 2 outubro deste ano.  A ideia é defendida pelos senadores João Capiberibe (PSB-AP), Walter Pinheiro (sem partido-BA), Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Lídice da Mata (PSB-BA), Paulo Paim (PT-RS) e Cristovam Buarque (PPS-DF).

Nesta segunda, o presidente do Senado Renan Calheiros recebeu de Eduardo Cunha (PMDB-RJ), presidente da Câmara, o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff. Neste domingo (17), a Câmara decidiu, por 367 votos a favor, 137 contrários, sete abstenções e duas ausências, encaminhar o processo de impeachment ao Senado, que vai decidir se julga ou não a denúncia contra a presidente Dilma Rousseff.

Os senadores disseram que a intenção da proposta não é interferir no andamento do processo de impedimento no Senado, mas que não se sentem confortáveis com a forma que o caso está se desenhando.

Segundo Walter Pinheiro, a proposta está sendo redigida juntamente com as assessorias parlamentares dos seis senadores e deve ficar pronta na próxima quarta-feira (20), quando os senadores começarão a coletar as 27 assinaturas necessárias para que a matéria seja protocolada. “Já conversamos com vários senadores e esse número de 27 senadores deve ser facilmente alcançado”, disse Walter Pinheiro.

Questionado se os senadores esperam o “aval” da presidente Dilma e do vice Michel Temer para a proposta, Randolfe Rodrigues disse que o grupo de parlamentares não está “procurando” por esse apoio à proposta, mas que seria “a melhor medida” a ser tomada pelos mandatários do Executivo.

“Não estamos procurando pelo aval da presidente e da vice, mas a melhor medida a ser tomada pela presidente Dilma e pelo vice Michel Temer, para provar que não há uma sangria correndo pelo poder, seria que eles tivessem a coragem de apoiar essa PEC”, disse Randolfe.

Randolfe também disse que a proposta é uma ideia para devolver ao povo “a soberania” de escolher os chefes do executivo.

Os senadores afirmaram ainda que precisa ser debatido se os novos presidente e vice terão mandato “tampão”, até 2018, ou se terá uma duração de quatro ou cinco anos.

 

Tentativa de golpe

Sem citar a proposta defendida pelo grupo de senadores, o presidente em exercício do PMDB, senador Romero Jucá (RR), afirmou, em discurso na tribuna do Senado, que o que está previsto na Constituição são eleições municipais em 2016 e, para presidente, deputados federais, senadores e governadores em 2018.

“Qualquer saída disso [eleições municipais em 2016 e gerais em 2018] é, aí sim, tentativa de golpe […]. Ninguém pode reduzir tempo de mandato, nem ampliar tempo de mandato”, afirmou Jucá.

Governador Robinson Faria pede suspensão da devolução de R$ 79 milhões ao Fundeb

turma

O governador Robinson Faria e uma comissão formada por prefeitos potiguares participaram no final da tarde desta terça-feira (16) de uma reunião com o ministro da Educação, Aloizio Mercadante, em Brasília. Na ocasião, o chefe do Executivo estadual solicitou que R$ 79 milhões, referentes ao repasse do Governo Federal via Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb), frutos de uma divergência na prestação de contas do ano letivo 2014, não fossem devolvidos.

Em 2014, a União previu que o Rio Grande do Norte deveria receber complementação para o Fundeb, segundo cálculos realizados à época. Os repasses passaram a ser feitos em 2015. Porém, devido a um novo entendimento, o cálculo de repasse foi refeito e verificado que o RN não teria direito a complementação do Fundo. Pela Lei, o RN teria que ressarcir o montante até abril deste ano. 

O ministro da Educação se comprometeu a defender o pleito do Estado para que não houvesse a devolução da complementação do Fundeb, bem como tratará a questão na Comissão Tripartite do Fundeb, formada por secretários estaduais (Cosed) e dirigentes municipais (Undime). Deverá haver uma reunião do governo com a Secretaria do Tesouro para discutir o assunto.  No estado, o tema deve ser tratado pela Procuradoria Geral do Estado (PGE).

Joaquim Levy: medidas propostas não tiram direitos da população

Foto: Dilvulgação
Foto: Divulgação

As medidas de ajuste fiscal propostas para o Orçamento de 2016 não retirarão direitos da população, disse hoje (15) o ministro da Fazenda, Joaquim Levy. Em entrevista à NBR, ele declarou que os cortes de gastos e os aumentos de tributos têm como objetivo restaurar o equilíbrio da economia, com o mínimo de sacrifício.

Segundo Levy, os cortes procuraram preservar os principais programas sociais do governo, com o foco nos aumentos de tributos afetando as grandes empresas. “Os objetivos são colocar a economia em reequilíbrio, de maneira que possa superar esse momento, voltar a crescer e gerar mais empregos. Elas foram desenhadas de tal maneira que o governo possa alcançar objetivos Levy: medidas propostas não tiram direitos da populaçãoo mínimo, em programa social”, declarou.

Sobre a proposta de recriação da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF), o ministro insistiu que o tributo é provisório, de fácil recolhimento e sem impacto na inflação, diferentemente de impostos cobrados sobre o consumo, que são repassados para os preços.

[A CPMF] é um imposto que não causa grandes problemas na economia, um imposto que todo mundo paga. É um imposto provisório para enfrentar um momento especial. Fácil de recolher e que não bate na inflação”, acrescentou Levy.

Ajuste fiscal: Entenda o que é a CPMF e como funciona a cobrança da taxa

Em relação aos cortes de despesas, o ministro ressaltou que os gastos do governo não cresceram neste ano em termos reais, se for considerada a inflação. Ele disse que qualquer medida de contenção de despesa é válida, citando limites até para o uso de telefones celulares no Poder Executivo. “É pouquinho, mas tudo é importante. Tem de ter disciplina. Estamos gastando menos e cortando do próprio governo”, disse.

O ministro reiterou que as principais dificuldades para a economia brasileira foram provocadas pela crise internacional, que tem afetado duramente países emergentes como o Brasil. Ele, no entanto, declarou que a economia brasileira começou a dar sinais de recuperação, como o crescimento das exportações e o desempenho da agricultura, com safras recordes. “Há dez anos que as exportações não ajudavam o crescimento de forma líquida. Isso é bom para a indústria porque ajuda a criar empregos na indústria”, comentou.

EBC

Sancionada lei que altera idade limite de permanência de praças em atividade

 

Foto:PM/ASSECOM/Repórter: SD GLAUCIA
Foto:PM/ASSECOM/Repórter: SD GLAUCIA

O Governador do Estado do Rio Grande do Norte, Robinson Faria, sancionou no último dia 06 de agosto a Lei Complementar nº 546/2015, que altera o Estatuto dos Policiais Militares, aumentando a idade limite para permanência das praças militares no serviço ativo. De acordo com a alteração, os policiais militares que ocupam a graduação de Soldado, Cabo e Sargento poderão permanecer no serviço ativo até atingir a idade limite de 55 anos, independentemente do tempo de serviço prestado à corporação, devendo ser transferido “ex-offício” para a reserva remunerada. Ainda conforme a Lei Complementar, a idade limite de permanência no serviço ativo para os Subtenentes permanece inalterada (56 anos); contudo, passarão automaticamente para a inatividade os Subtenentes que computar mais de 30 anos de serviço e permanecer por período superior a cinco anos na graduação de Subtenente, integrante de qualquer dos Quadros de Pessoal da Corporação. Com as mudanças, o Comando da Polícia Militar espera possibilitar a ascensão profissional aos militares que poderão optar por permanecer no serviço ativo após completados 30 anos de serviço até chegar a idade limite prevista na lei. Publicada no Diário Oficial na última sexta-feira (07), a Lei Complementar nº 546/2015 já está em vigor.

 

Por: PM/ASSECOM/Repórter: SD GLAUCIA

Robinson Farias faz entrega de Mercado Público de Jardim do Seridó

Rayane-Mainara
Foto: Rayane-Mainara

Dando continuidade à agenda no Seridó, o governador Robinson Farias foi recebido por grande parte da população de Jardim do Seridó, no final da tarde dessa sexta-feira (7), para inaugurar o novo Mercado Público, que estava fechado há sete anos e conta com 22 boxes, 32 locais para outros tipos de comercialização. “Deus permitiu que eu voltasse a Jardim do Seridó. Está entregue o mercado”, assinalou o governador, salientando o empenho do Governo em investir e equipar a Emater, para devolver investimentos ao agricultor potiguar. Na ocasião, Robinson também fez a entrega das chaves de 33 automóveis; 200 computadores; 80 aparelhos de ar-condicionado, além de reformas de escritórios da Emater, espalhados pelas 10 regionais do órgão que é ligado à Secretaria do Estado da Pesca e Pecuária (Sape). Os investimentos ficaram em torno de R$ 1,746 milhão.

Foto Rayane Mainara
Foto Rayane Mainara

Obras contratadas pelo Governo devem reservar 5% das vagas para mulheres

As obras de construção civil contratadas diretamente pelo Governo do Estado terão que reservar pelo menos 5% das vagas do pessoal para contratação de mulheres. Isto é o que determina Lei sancionada pelo governador Robinson Faria nesta terça-feira, 28. A Lei de número 9.968 estabelece que as vagas para contratação de mulheres devem ser na área operacional, não considerando os cargos na área de limpeza, faxina e afins, assim como as vagas na área administrativa. A Lei, entretanto, ressalva que a reserva deve ser compatível com o exercício das funções objeto dos contratos. A reserva de vagas para o sexo feminino também se aplica nos casos de renovação de contratos de obras pelo Governo do Estado, tanto nos órgãos da administração direta quanto na administração indireta. A contratação de mulheres para o setor da construção civil amplia o mercado de trabalho para o sexo feminino. Elas atuam mais nas áreas de acabamento, pintura e elétrica.

RN: Licenças ambientais vão permitir a geração de até 40 mil novos empregos

Rondinelle Silva Oliveira-Diretor Geral do IDEMA
Rondinelle Silva Oliveira-Diretor Geral do IDEMA

 

O Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (Idema) realizou um levantamento do número de empregos que serão gerados em função das licenças ambientais emitidas pelo órgão nesse primeiro semestre do ano. De acordo com os dados, mais de 10 mil empregos diretos serão gerados no estado nos próximos 4 anos. Se considerados os empregos indiretos, esse número sobe para quase 40 mil empregos. “Os números são um reflexo do esforço que o nosso governo tem empreendido para gerar emprego e renda no Estado, mesmo em um ano de crise em todo o país, como o que estamos vivendo. Mas aqui, não nos engessamos diante da crise: estamos trabalhando com mais eficiência, agilidade e criatividade para dar as respostas esperadas. E o trabalho realizado no Idema reflete isso”, declarou o governador, Robinson Faria, a respeito dos números. Para chegar aos empregos gerados, foram analisadas, por meio do setor Geoprocessamento, as licenças de instalação (LI), licenças de instalação e operação (LIO), licença prévia para perfuração (LPPER), licença simplificada (LS) e licença simplificada de instalação e operação (LSIO). O levantamento foi trabalhado em diversos setores do Idema e demandou quase dois meses de pesquisa, pois a estatística de empregos e o aporte financeiro de cada empreendimento antes não eram citados nos processos. “Fizemos um mutirão para coletarmos esses dados e a partir de agora essa é uma exigência do Idema. Em todo processo deve constar a expectativa de empregos e também o valor investido pelo empreendimento”, revelou Rondinelle Oliveira, Diretor geral do Idema. Os números mostram o desenvolvimento sustentável do estado. A gestão do Idema prioriza a transparência e agilidade na liberação de processos e emissão de licenças, evitando entraves comuns ao órgão. Um exemplo desse desenvolvimento é o Complexo Eólico Facheiro, onde serão implantados 23 parques, nas cidades de Lages, Caiçara do Rio do Vento e São Tomé. Estima-se que no auge das obras, sejam gerados até 2 mil empregos para as regiões que receberão o complexo. Há também a instalação do teleférico de Santa Rita de Cássia, em Santa Cruz, que promete alavancar o turismo religioso no estado e principalmente no alto de Santa Rita que já recebe uma média de 540 mil visitantes por ano. Outro exemplo é a fábrica de cerâmica Elizabeth que será instalada na cidade de Goianinha. A expectativa é de que sejam gerados 490 empregos diretos e até 1.500 indiretos. “A qualificação de pessoal, o trabalho feito em coletividade e o comprometimento junto ao Governo do Estado, norteiam os avanços que o Idema vem obtendo nesse primeiro semestre do ano. A geração desses 10 mil novos empregos representará um avanço para o desenvolvimento sustentável do Rio Grande do Norte”, afirmou Rondinelle.

Governo do RN estuda Projeto de Lei que reestrutura a SEJUC

Governo começou a estudar Projeto de Lei complementar que disporá sobre a reestruturação da SEJUC. O PLC tem como objetivo aperfeiçoar o atendimento à população. No projeto, a SEJUC passaria a ser chamada de Secretaria de Estado de Justiça e Administração Penitenciária (SEJAP). Tendo como foco o diálogo com a Justiça e administração do sistema carcerário do RN. Com muitas atribuições distintas, Edilson França, Secretário da SEJUC, propõe reordenar a Secretaria, destinando atribuições para outros órgãos do Estado. Departamentos como, Subsecretaria da Juventude, Defesa Civil, PROCON, Centrais do Cidadão, Coordenadoria de Defesa da Mulher e das Minorias passariam a ser atribuições de outras secretarias Participaram da reunião, Tatiana Mendes Cunha, Secretária-chefe do Gabinete civil; Edilson Alves, Secretário da SEJUC; Eduardo Nobre, Consultor Geral do Estado; Maira Leilane, Secretária Adjunta da SETHAS; Coronel Otto Ricardo, Comandante Geral do CBM; Cyrus Benavides, Coordenador do PROCON; Elizeu Lisboa, Coordenador da Defesa Civil; Eugênio Galvão, Coordenador da CODACI e Fernanda Borges, Chefe de Gabinete da SETHAS.

Governo faz parcerias com prefeituras para recuperar estradas

robinson-farias.jpgi

Fonte: ASSECOM/RN

O Governador Robinson Faria participou na manhã desta sexta-feira, 19, do Encontro de Prefeitos das regiões Agreste, Potengi e Litoral realizado no município de Monte Alegre. Robinson Faria anunciou que o Governo do Estado vai iniciar um programa de recuperação de estradas em parceria com os municípios. “Sabemos que muitas estradas estão precisando de reparos, por isso definimos um programa que vai fazer a recuperação com o Governo do Estado se responsabilizando pelo material e as prefeituras pela mão de obra”, explicou o Governador. O Governador informou que o Estado começa a retomar o equilíbrio financeiro e a retomar os investimentos. “Vamos sanear 100% do RN, estamos melhorando a saúde com o reabastecimento dos hospitais, contratamos 400 professores, pagamos o piso salarial da categoria, enviamos à Assembleia Legislativa o Plano Estadual de Educação, promovemos policiais militares e civis, resgatamos a autoestima e já estamos obtendo resultados com a redução da violência, colocamos em dia o pagamento dos servidores. O Estado está voltando aos trilhos”, afirmou para acrescentar que a administração conseguiu reduzir custos em R$ 180 milhões.

Robinson faz visitas surpresas e não encontra diretores dos órgãos nos locais

O blog do BG destacou na manhã de hoje em sua página, uma atitude positiva do governador Robinson Faria. Robinson, fez duas visitas-surpresas à Ceasa e ao Detran na manhã de hoje. Como bem sabemos, hoje é um dia imprensado, entre um feriado e o final de semana.

O blog do BG recebeu a informação que o governador não encontrou nenhum dos diretores dos órgãos presentes nos seus locais de trabalhos. Nem Marcos Freire, diretor-geral do Departamento Estadual de Trânsito, nem Theodorico Neto, diretor-presidente da Ceasa.

 

Ministro da Integração assina convênio de R$ 4 milhões em obras contra a seca

O ministro da Integração Nacional, Gilberto Occhi, e o governador Robinson Faria, assinaram, no final da manhã desta sexta-feira (29), um convênio que garante o valor de R$ 4 milhões a ser aplicado em obras emergenciais de convivência com a seca. O Ministério assegurou para o Rio Grande do Norte recursos da ordem de R$ 200 milhões. O montante será aplicado na conclusão do Sistema Alto Oeste, na adutora de engate rápido Currais Novos-Acari, na barragem de Oiticica e no reforço da operação com carros-pipa. “A soma ultrapassa até os R$ 200 milhões. Das obras mais emergenciais, talvez apenas a barragem de Oiticica fique para os próximos exercícios. Em relação às demais obras, nossa intenção com o governo do estado, é concluí-las ainda este ano. Fora o apoio que o Governo Federal vai continuar dando, através do Exército, e este apoio mais emergencial que é o carro-pipa para a área urbana”, assinalou o ministro, que também participou do Seminário Regional “Nordeste 60 anos depois – mudanças e permanências”, realizado na Escola de Governo Cardeal Eugênio Sales, no Centro Administrativo, em Natal. Robinson ressaltou a importância da parceria entre o Governo Federal e o Governo do Estado. “Em um momento como este, é fundamental fortalecer esta parceria que já existe com o Governo Federal. O Governo do Estado tem plenas condições de angariar recursos. Temos projetos, propostas e uma equipe técnica competente para discutir soluções para a crise hídrica”, assinalou.

Com informações da ASSECOM/RN

 

Deputado Souza solicita estudos sobre potencial produtivo do gás natural 

Por considerar que o incentivo do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Industrial (PROGÁS), onde o Rio Grande do Norte é o único Estado que subsidia o gás natural para a indústria, ainda é pouco quando comparado ao potencial de exploração, o deputado Souza (PHS) encaminhou requerimento ao governador Robinson Faria (PSD) e ao secretário de Desenvolvimento Econômico Paulo Roberto Cordeiro, solicitando estudos sobre o potencial produtivo de gás natural no Estado.
“Poucos sabem as vantagens do gás natural em relação ao Gás Liquefeito de Petróleo (GLP). Temos um imenso potencial de produção. Porém, atualmente o Brasil importa da Bolívia 30 milhões de metros cúbicos de gás natural, por dia, por meio do gasoduto que vai de Corumbá (MS) a Campinas (SP), afirma Souza.

O parlamentar argumenta ainda que estimativas da Agência Internacional de Energia mostram que a produção de gás sem terra no Brasil pode passar dos atuais três bilhões de metros cúbicos ao ano para 20 bilhões de metros cúbicos em 2035. No entanto, o País só alcançará essa produção se adotar medidas que fortaleçam a exploração do combustível.

“Aqui no Estado já dispomos do incentivo do PROGÁS, porém ainda é pouco em relação ao nosso potencial produtivo. Nesse sentido solicitamos estudos urgentes sobre esse potencial para que assim possamos divulgar e atrair ainda mais investidores, gerando mais emprego e renda para o Rio Grande do Norte”, concluiu o deputado em sua justificativa.

 
via ALRN

Reparação das estradas: qual será a técnica  governador? 


RN 118 Jucurutu/Caicó

O governador Robinson Faria permanece em silêncio quando o assunto é a pavimentação rodoviária destruída.

Mas, como seridoense, vou dedicar a atenção para a estrada que liga Jucurutu a Caicó.

A estrada está completamente acabada com largos e profundos buracos, colocando em perigo todas as pessoas que trafegam diariamente inclusive os estudantes que viajam a noite.

Percebo que o governador se empenha em buscar soluções técnicas para nosso estado e espero que ele aja da mesma forma com as nossas estradas que estão a tal ponto, que o remendo não é suficiente, talvez o governo necessite até de um programa voltado para reconstrução de estradas do nosso estado, são praticamente todas as RNs que precisam de reparos.

Acredito que o governador Robinson Faria abrace uma solução técnica e inovadora para começar a resolver as condições absurdas das nossas estradas.