Nasce filho do Vereador Gilson Brito e Renata no hospital de Jucurutu

Nasceu na manhã desta sexta-feira , 08, no Hospital Terezinha Lula de Queiroz Santos, o filho do Vereador Gilson Brito e Renata Priscylla.

O vereador confirmou ao blog a chega do filho: Estou muito feliz, meu filho nasceu no lugar que trabalho, aqui no hospital de nossa cidade, agradeço o carinho de todos pelas mensagens enviadas e toda a equipe que participou do parto do meu filho.

O pequeno se chama João Assis de Brito Neto.

Jucurutu Agricultor denuncia atos de vandalismo e furto em sua propriedade ( vídeo)

Na manhã de hoje (6) o blog recebeu um vídeo, onde o agricultor Eduardo Melquíades, cidadão de bem e muito popular na cidade, mostra que arames foram roubados na sua propriedade no Sítio Timbaúba, 7km de Jucurutu. Os bovinos saíram para a BR- 226 em tempo de provocar um acidente e tirar a vida de alguém.

Veja vídeo

Familiares encontram Jucurutuense desaparecida em SP

A Secretária de Educação do Município, Luciclélia Thomaz, entrou em contato com nosso blog para informar que sua irmã Chaguinha foi encontrada. Graças a Deus está bem, porém foi encontrada em Piracaia, em estado de choque, não vamos entrar em detalhes em respeito aos familiares e até a própria Chaguinha que deve agora se cuidar e esquecer este dia.

Deus abençoe nossa conterrânea .

Familiares procuram mulher de Jucurutu/RN desaparecida em Piracaia/SP

Filhos, irmãos, amigos de Francisca das Chagas Tomaz de Aquino, mais conhecida por Chaguinha, estão aflitos, pois segundo informações a mesma teve um surto, fugiu da família e encontra-se desaparecida desde às 22:00 desta sexta-feira (01/11/2019) em Piracaia,São Paulo.

Chaguinha é de Jucurutu, irmã da Secretária de Educação do Município, Luciclélia Thomaz

INFORMAÇÕES LIGAR PARA

84- 99933-1335

84- 99964-4186

Ou através do e-mail do nosso blog emanuellagalvaoo@gmail.com

Professor da rede pública adapta “whisper phone” para moderar tom de voz na escola

Do blog Edson Dantas

Ao perceber e observar que membros da comunidade escolar, principalmente alunos e professores, estavam falando em tom de voz cada vez mais alto nos últimos anos, especialmente em aulas expositivas e pequenas discussões, um professor adaptou uma solução simples e criativa para transpor esse problema. Pesquisando na internet, o professor de Língua Inglesa Erivan Alonço da Costa, da Escola Estadual Padre Sinval Laurentino de Medeiros, em Tenente Laurentino Cruz/RN, descobriu o Toobaloo ou Whisper Phone (“telefone do sussurro”, em tradução livre).

O aparelho é utilizado em alguns municípios do Brasil para permitir que os alunos do Ensino Fundamental I leiam ao ponto de ouvirem sua própria voz, ganhando desenvoltura e autoconfiança na leitura, e é bastante utilizado em escolas nos Estados Unidos, com o nome de “Toobaloo”, na versão original. Com a inovação do professor, a engenhoca ganha agora mais uma utilidade, passa a ser denominado também de moderador de voz.

Durante sua inquietação, o professor se deparou com uma das frases célebres de Samuel Hahnemann, o criador da Homeopatia: “A diferença entre veneno e remédio é a dose”. A partir de então o professor partiu da seguinte reflexão: se o “Toobaloo” serve para tornar audível o tom de voz de crianças tímidas ou que apenas sussurram, pode também inibir os berros e moderar o tom de voz de quem fala alto demais sem necessidade.

Ana Joelle e o educador Erivan Alonço com moderadores de voz

O primeiro teste de sucesso se deu no ano de 2018 quando o professor percebeu uma garota (Ana Joelle) de 14 anos no 8° ano do Ensino Fundamental falando extremamente alto, na Escola Municipal Francisca Leonísia da Cruz, município de Florânia/RN. Essa menina era analfabeta e tinha o sonho de aprender a ler e a escrever. Era o grande sonho da vida até então. Durante o processo de alfabetização, o professor percebeu que um dos fatores a ser combatido para que ela aprendesse a ler, era organizar sua voz. Assim o fez, junto com outras estratégias, e hoje ela ler e escreve.

Primeira estrofe em redondilha maior de Ana Joelle

O preço se tornou um obstáculo, mas foi simples a adaptação: duas (02) curvas de cano PVC juntas por um pequeno pedaço de cano PVC de 3 ou 4 centímetros e estava feito o primeiro, ao custo irrisório de R$ 4,00.

Sendo o moderador de voz um mecanismo muito simples, os estudantes e professores ouvem sua própria voz com nitidez, mesmo quando falam baixinho. Se falarem alto demais o instrumento funcionará como um auto-castigo. Dessa forma, os próprios alunos e professores conseguem identificar alguns exageros na fala e tom de voz. Não precisa passar um dia todo com o toobaloo, apenas 5 minutos é o suficiente para uma boa e sensata reflexão: por que falamos tão alto com os outros se, na maioria das vezes, estamos tão pertinho?” nos provoca o professor.

Operação Mácula: MPF e PF no RN obtêm mandados envolvendo navio suspeito de derramamento de óleo

Embarcação mercante de bandeira grega foi indicada como origem do óleo que atinge o Nordeste

A Polícia Federal cumpre, nesta sexta-feira (1), mandados de busca e apreensão em uma agência marítima e na sede de representantes de uma empresa, no Rio de Janeiro. O MPF concordou com a manifestação da PF e pediu à Justiça Federal a expedição dos mandados, emitidos pelo juiz da 14ª vara criminal do RN. Os dois alvos são ligados à proprietária de um Navio Mercante (NM) de bandeira grega, indicado como origem do derramamento de óleo na costa nordestina.

O Inquérito Policial sobre o caso, no RN, teve acesso a imagens de satélite que partiram das praias atingidas até o ponto de origem (ponto zero) de forma retrospectiva. O relatório de detecção de manchas de óleo, de autoria de uma empresa privada especializada em geointeligência, indicou uma mancha original, do dia 29/07/2019, e fragmentos se movendo em direção à costa brasileira.

Com informações da Marinha, a Diretoria de Inteligência Policial da PF concluiu que “não há indicação de outro navio (…) que poderia ter vazado ou despejado óleo, proveniente da Venezuela.” Ainda de acordo com a Marinha, esse mesmo navio ficou detido nos Estados Unidos por quatro dias, devido a “incorreções de procedimentos operacionais no sistema de separação de água e óleo para descarga no mar”.

O sistema de rastreamento da embarcação confirma a passagem pelo ponto de origem, após ter atracado na Venezuela – país desenvolvedor do óleo derramado -, ao seguir viagem para a África do Sul e Nigéria.

Os procuradores da República Cibele Benevides e Victor Mariz destacam que “há fortes indícios de que a (empresa), o comandante e tripulação do Navio deixaram de comunicar às autoridades competentes acerca do vazamento/lançamento de petróleo cru no Oceano Atlântico.” Para eles, “a medida de busca e apreensão mostra-se necessária e de urgência”, para a coleta de documentos que auxiliem no esclarecimento dos fatos.

Danos – O MPF classifica o impacto do derramamento de óleo como de “proporções imensuráveis”. O desastre ambiental atingiu estuários, manguezais e foz de rios em todo o nordeste brasileiro, com prejuízos para as atividades pesqueira, de maricultura e turística.

Até 29 de outubro, foram registradas manchas de óleo em nove estados, 94 municípios e 264 localidades. Foram encontrados 107 animais afetados pelo óleo, com 81 mortes. Cerca de 70% dos animais contabilizados eram tartarugas marinhas.

Atuação – O MPF acompanha o derramamento do óleo desde o início de setembro. A atuação ocorre em duas linhas. A primeira visa à contenção, prevenção e limpeza urgente das praias e costões atingidos, com mobilização dos órgãos municipais, estaduais e federais envolvidos. Já a segunda se refere à investigação da causa, origem e responsáveis pelo vazamento.

Em todos os estados do Nordeste, o MPF instaurou procedimentos extrajudiciais sobre o caso. O Inquérito Policial nº 0404/2019-4, que apura a responsabilidade criminal em nível nacional, foi instaurado pela Polícia Federal no RN, e é acompanhado pelo procurador da República Victor Mariz.

Há ainda, uma Ação Civil Pública – n° 0805679-61.2019.4.05.8500 – assinada por procuradores da República em todos os estados atingidos e que pede o acionamento do Plano Nacional de Contingência (PNC). Na quarta-feira (30/09), o Tribunal Regional Federal da 5ª Região concedeu liminar parcialmente favorável ao MPF, determinando a inclusão de representantes dos órgãos estaduais de meio ambiente do Comitê de Suporte do PNC (confira detalhes).

Responsabilização – Os responsáveis devem responder nas esferas cível – com o pagamento de multa e indenização por danos morais, materiais e sociais – e penal, tipificado na Lei de Crimes Ambientais (Lei 9.605/98), artigo 54, parágrafo 2º, V (pena de um a cinco anos de reclusão) e artigo 68 (pena de um a três anos de detenção).

http://www.mpf.mp.br/rn/sala-de-imprensa/noticias-rn/operacao-macula-mpf-e-pf-no-rn-obtem-mandados-envolvendo-navio-suspeito-de-derramamento-de-oleo