Brasileiro de 17 anos passa em 12 universidades dos EUA

BRASILEIRO

Um jovem brasileiro, que acaba de concluir o ensino médio, foi aceito em 12 universidades dos EUA.Em janeiro deste ano, Pedro Luís Farias, 17 anos, morador de Brasília, recebeu a notícia de que havia “passado”  em uma das melhores universidades dos Estados Unidos, Harvard.

Só que em março ele teve uma surpresa maior ainda: o rapaz também foi selecionado para outras 11 instituições no país norte-americano.

“Como nos Estados Unidos, você começa na faculdade e não em um curso específico, ainda não sei no que vou me formar de fato. Tenho interesses bem diferentes e, apesar de querer estudar ciências da computação, isso ainda pode mudar”, disse ao Correio Braziliense.

Com tantas possibilidades, o estudante escolheu ir para Harvard. “Lá existe a opção de ter dois diplomas, e isso é ótimo para mim. Pretendo fazer ciência da computação e ciência política”, conta, satisfeito.

O interesse pela cultura norte-americana surgiu depois que ele morou com a família em Boston (EUA) por um ano e meio, dos seis aos sete anos de idade.De volta ao DF, os pais de Pedro o matricularam na Escola Americana de Brasília, onde o rapaz terminou o ensino médio em maio deste ano.

“Lá, os recursos são direcionados para quem quer fazer faculdade no exterior. Temos preparação para o SAT’S (Scholastic Aptitude Test, requisito para aprovação em universidades americanas) , conselheira que auxilia durante o processo de admissão, professores acostumados a escrever recomendações e, além disso, estamos familiarizados a usar o inglês. Para mim, essas foram algumas das vantagens”, revela Pedro, que recebeu títulos como o de Estudante do ano em maio de 2015.

“Ele é bem dedicado e gosta muito de se fazer notar. Sempre foi participativo, organizado e disciplinado. Cumpria prazos e gostava de superar expectativas. É aquele tipo de aluno que faz perguntas e quer saber o que será exigido dele para se planejar. Como Pedro queria muito estudar fora do Brasil, nós da escola aguardávamos a notícia da aprovação, porque ele se empenhava bastante em tudo”, disse Vivian Resende professora de português do rapaz.

“Em primeiro lugar, é preciso entender bem como funciona o sistema de seleção nos Estados Unidos, que é bem diferente do nosso vestibular. Depois, o aluno precisa ter muita disciplina e saber organizar o tempo para ter boas notas e construir um currículo de atividades extracurriculares”, informa Vivian.

Pedro Farias participou por seis anos do Candangos Chapter of The National Honor Society, uma comunidade de clubes das escolas americanas do mundo inteiro, que se dedicam a atividades sociais. O de Brasília é o Candangos Chapter.

“Para entrar, você manda seu histórico escolar para um conselho de professores analisar, e eles levam em conta atividades extracurriculares também, além de quatro habilidades que valorizam muito: liderança, cidadania, serviço social e desempenho acadêmico”, explica Pedro.

O estudante participou de ações voluntárias em instituições como a creche Renascer, na Estrutural – a 25 km de Brasília – e ajudou o projeto Garatuja, que auxilia meninas em situação de risco.

 

Veja as universidades que Pedro passou:

Harvard University

Princeton University

Yale University

Columbia University

Duke University

Vanderbilt University

University of California Berkeley

Carnegie Mellon University

Georgia Tech

Boston College

Tufts University

Northeastern University

Fonte : Yahoo Notícias

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *