Finep repassa R$ 30 milhões para pesquisas sobre o vírus zika

VACINA ZIKA

A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep/MCTI) disponibilizou R$ 30 milhões para financiar projetos de pesquisa e desenvolvimento (P&D) para combater o Aedes aegypti e o vírus zika. Os recursos fazem parte do montante de R$ 1,2 bilhão liberado pelo governo federal para as ações do eixo de desenvolvimento tecnológico, educação e pesquisa do Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes aegypti e à Microcefalia.

O edital anunciado pela Finep é voltado para instituições de ciência e tecnologia (ICTs). As propostas devem ser enviadas até 28 de abril e precisam estar vinculadas a temas específicos como aperfeiçoamento de tecnologias para exame de imagens visando o diagnóstico precoce de alterações neurológicas; aprimoramento de tecnologias de criação de inseto estéril; desenvolvimento de linhagens de mosquitos geneticamente modificados; investigação da biologia do vírus na infecção humana e no ciclo animal; desenvolvimento de terapias para afecção neurológicas causadas pelo zika; entre outros.

A divulgação do resultado está prevista para junho. Segundo o presidente da Finep, Wanderley de Souza, além dos R$ 30 milhões, o Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq/MCTI) vai liberar mais R$ 20 milhões para grupos de pesquisa.

“É um edital para a comunidade científica, para apoiar uma série de projetos, como o desenvolvimento de novos métodos diagnósticos, pesquisas sobre a estrutura do vírus para dar origem a um kit diagnóstico ou a uma vacina”, explicou Wanderley. “A Finep vai apoiar a instituição, com a compra de equipamentos e reagentes. Já os recursos do CNPq serão destinados aos pesquisadores e bolsas de estudo.”

 

Mais informações estão disponíveis na íntegra do edital.

 

Inova Saúde

 

A Finep também disponibilizou R$ 200 milhões em crédito subsidiado para empresas brasileiras por meio do programa “Inova Saúde: zika e arboviroses”. O objetivo é financiar projetos sobre transmissão, aperfeiçoamento de diagnósticos molecular e sorológico, desenvolvimento de larvicidas e repelentes, e a relação do vírus zika com a microcefalia. As propostas, que devem ser apresentadas até dezembro de 2016, terão prioridade na análise técnica e condições especiais.

 

Podem participar empresas com no mínimo três anos de funcionamento e que possuam faturamento superior a R$ 5 milhões. Os planos de negócios devem ter valor mínimo de R$ 1 milhão e prazo de execução de até 36 meses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *