Governo do RN vai investir R$ 14,6 milhões na pecuária leiteira potiguar

LEITE DE VACA

O fortalecimento da pecuária leiteira bovina e caprina será uma das prioridades do Governo do Estado em 2016. Por meio da Secretaria de Estado da Agricultura, da Pecuária e da Pesca (Sape), Emparn, Emater e RN Sustentável, o Executivo irá investir R$ 14,6 milhões em ações para melhorar a qualidade do leite e a genética do rebanho, além do incentivo à conservação da forragem, produção de feno e ampliação da área de produção de palma forrageira resistente à cochonilha do carmim.

O projeto começa a ser tocado este ano com abrangência em todo o Rio Grande do Norte. “Temos como melhorar nossa produtividade de leite e com esse projeto queremos incrementá-la, promovendo principalmente o melhoramento genético do rebanho e aperfeiçoando a qualidade do leite produzido”, destaca o secretário Haroldo Abuana.

Cinco vertentes irão nortear o projeto. Uma delas é a oferta de volumoso para os rebanhos, por meio da disponibilização de 360.000 fardos de feno de capim tifton 85 por ano a preço subsidiado, principalmente no período de seca. Estão incluídos também a distribuição de 2,76 milhões de raquetes/sementes de palma forrageira tolerante à cochonilha do carmim e incentivo à produção de silagem, aumentando o número de produtores que fazem uso da tecnologia a partir da orientação técnica e disponibilização de máquinas e equipamentos.

A melhoria da qualidade do leite se dará pela distribuição de 50 tanques de resfriamento de leite coletivo para comunidades rurais onde existam produtores, com vistas à adequação à IN 62/2011, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. O projeto também busca o melhoramento genético dos rebanhos leiteiros, a partir da estruturação do primeiro centro de formação de inseminadores artificiais, com capacidade para formar 100 inseminadores por ano.

“Nesta etapa serão distribuídos kits de inseminação artificial para bovinos, com o intuito de formar 50 núcleos de inseminação artificial em bovinos leiteiros no Rio Grande do Norte”, acrescenta o secretário. No rebanho caprino, também será feito um trabalho de melhoramento genético a partir da implantação de três núcleos de reprodução programada, para produção de no mínimo mil doses de sêmen, 50 reprodutores de raças leiteiras e inseminação de 600 cabras por ano.

Rebanho

O rebanho bovino do Rio Grande do Norte hoje é de 955.511 cabeças, enquanto caprinos e ovinos respondem por 1.063.500 e 527.198 animais, respectivamente. Os dados são do Idiarn.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *