DNOCS reconhece ter falhado na fiscalização da topografia da adutora de engate-rápido de Jucurutu

Do Blog Marcos Dantas

Em entrevista ao Panorama 95, o coordenador estadual do DNOCS, José Eduardo reconheceu que o órgão falhou, em não ter fiscalizado uma das etapas de construção da adutora de engate-rápido de Jucurutu, que foi a topografia, feita pela prefeitura municipal. A obra não tem funcionado como deveria, e não sendo suficiente para atender a demanda de abastecimento da cidade de Jucurutu. “A vazão não atendeu o que previa porque a topografia foi feita pela prefeitura, e o nosso erro foi não ter fiscalizado a topografia”, explicou.

De acordo com José Eduardo, no meio da obra, que era de emergência e o DNOCS teve pouco tempo para executá-la, o departamento teve que adotar um caminho diferente, a adutora subiu por um rumo que havia uma altimetria maior, e a bomba perdeu a potencia. “Foi ai que no inicio do ano fizemos um projeto de buster, exatamente para recuperar essa vazão, e nem para isso veio recurso, esse buster custaria em torno de 160 mil reais, fizemos o projeto junto com a CAERN e até agora não chegou nada”.

Na entrevista, o coordenador estadual do DNOCS criticou a Companhia de Águas e Esgotos do RN, por segundo ele ter cruzado os braços à época e não ter tomado a iniciativa de construir a adutora, obrigando o DNOCS do nosso Estado ter que aprender com estados vizinhos, a construir adutoras de engate-rápido.

“Se não fosse o DNOCS nem a adutora existia, porque na época a CAERN cruzou os braços, ninguém fez nada. Se não fosse o DNOCS passando uma semana imerso, visitando várias adutoras no Cerará para aprender a fazer, já que foi a nossa primeira adutora de engate-rápido. Fizemos um projeto recorde e entregamos ao Ministério. Nosso orçamento inicial era 2 milhões e 600 mil, e durante a licitação caiu para e 2 milhões e 400 mil. O projeto que a CAERN entregou na época foi de 3 milhões e 300, um projeto com valores absurdos e foi rejeitado pelo Ministério. Aí depois quando executamos, a CAERN recebeu a obra e tem lucro com a venda da água e simplesmente não ajuda em nada. Uma das causas do problema dessa vazão é o sistema de distribuição da CAERN que é arcaico”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *