Ezequiel prestigia Festa de Sant’Ana em Santana do Matos

ezequiel 1

O deputado estadual Ezequiel Ferreira de Souza, presidente da Assembleia Legislativa prestigiou na noite desta sexta-feira (24), a Festa de Sant’Ana, em Santana do Matos, município que fica na região Central do Estado. O senador Garibaldi Filho também participou do evento.
Em Santana do Matos, Ezequiel foi recebido pelo ex-deputado Paulo de Tarso Fernandes, o presidente da Câmara Municipal, Erinaldo Florêncio, o Naldinho, vereadores e lideranças da cidade. A prefeita Lardjane Ciriaco e o ex-deputado Neto Correia também cumprimentaram o presidente da Assembleia Legislativa.
A Festa de Sant’ana, tradicional no município será encerrada neste domingo (26), com a procissão pelas ruas de Santana do Matos.

Ao lado do presidente da Assembleia Legislativa e de lideranças políticas da cidade, o Senador  Garibaldi Filho também prestigiou a abertura da 43º Vaquejada de Santana do Matos/RN
Ao lado do presidente da Assembleia Legislativa e de lideranças políticas da cidade, o Senador Garibaldi Filho também prestigiou a abertura da 43º Vaquejada de Santana do Matos/RN

Ex-governador do RN que estava foragido, foi preso em Copacabana-RJ

depoimento de fernando freire/ foto: marcelo barroso/release

 

O ex-governador do Rio Grande do Norte Fernando Freire, condenado a 13 anos e quatro meses de prisão por desvio de recursos públicos, foi preso na manhã deste sábado (25) na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pela Secretaria de Segurança carioca (Seseg).

De acordo com a Seseg, Freire tinha quatro mandados de prisão expedidos pelo Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte. O ex-chefe do Executivo estadual teria cometido os delitos no período entre fevereiro e novembro de 2002, quando era vice-governador e governador do RN.

Segundo os autos do processo movido contra o ex-governador, constam desvios de recursos públicos que contabilizam R$ 57.832,13, em valores da época.

A forma de desvio foi através do pagamento de 83 cheques-salários em favor de 14 parentes e correligionários do então vereador Pio Marinheiro. Nenhum dos beneficiários era funcionário público ou guardava qualquer vínculo funcional com o Estado, fazendo com os pagamentos não tivesse respaldo legal.

Fernando Freire foi condenado a 13 anos e quatro meses de prisão, bem como 300 dias-multa. Ele estava foragido desde 2014.

Tribuna do Norte

FHC: O momento não é para a busca de aproximações com o governo

fhc2

 

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso usou as redes sociais neste sábado, 25, para negar o interesse em conversar com a gestão Dilma Rousseff e afirmou que encontros privados poderiam parecer conchavo para salvar o “o que não deve ser salvo”. “O momento não é para a busca de aproximações com o governo, mas sim com o povo. Qualquer conversa não pública com o governo pareceria conchavo na tentativa de salvar o que não deve ser salvo”, escreveu o ex-presidente em sua página no Facebook.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estaria interessado em se reunir com seu antecessor pra uma conversa sobre as crises econômica e política que assolam o País. Entre os temas do encontro estaria também a discussão envolvendo um possível processo de impeachment contra a presidente Dilma Rousseff.

Representantes da direção nacional do PSDB e lideranças do partido no Congresso rechaçaram a possibilidade de uma aproximação entre a oposição e o PT. Xico Graziano, ex-chefe de gabinete de FHC e atualmente assessor do Instituto que leva o nome do ex-presidente, tem tratado o tema com ironia nas redes sociais. “Se eu fosse o FHC topava conversar com Lula. Primeiro mandava ele pedir desculpas pela mentirada. Depois perguntaria: tá dormindo em paz?”, escreveu o assessor.

Do lado dos petistas, a reação tem sido diferente. Questionado sobre o encontro, o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social, Edinho Silva, disse na sexta-feira, 24, ser “plenamente favorável”. “Acho que isso deveria acontecer mais no Brasil: ex-presidentes conversando. Nos Estados Unidos, é a coisa mais normal do mundo ex-presidentes se reunirem, inclusive a convite do presidente em exercício. Sempre que você estabelece diálogo entre lideranças nacionais, é bom para o País”, disse Edinho.

Em uma agenda nesta semana no Rio de Janeiro, o ministro da Defesa, Jaques Wagner, também se mostrou favorável ao encontro. “A gente está num momento difícil, porque o quadro da economia mundial é difícil. É preciso serenidade, bom senso e imagino que os dois ex-presidentes têm de sobra essas qualidades. Eu aplaudiria muito se houver esse encontro, (mas) não para tratar de impeachment. O encontro de dois presidentes teria uma agenda muito superior a essa”, disse.

Folha Vitória

RN: Classe Hospitalar do HMWG já beneficiou 500 crianças em três anos

WAL

 

Dias de afastamento escolar sempre representam grandes prejuízos ao aprendizado de qualquer criança. Quando o motivo desse afastamento é uma internação hospitalar, o retorno a sala de aula pode atingir períodos ainda mais longos. Para que a volta aos bancos da escola seja a mais natural possível, desde 2012, o Hospital Monsenhor Walfredo Gurgel (HMWG) integra o Programa Classe Hospitalar. Através dele, crianças internas no Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) e na enfermaria pediátrica do terceiro pavimento recebem aulas diárias, de segunda a sexta-feira, durante um período de quatro horas diárias, de acordo com seu grau de escolaridade. No total, o projeto já beneficiou mais de 500 crianças. O Classe Hospitalar é realizado em parceria com a Secretaria Municipal de Educação (SME), e atualmente contempla também os hospitais Maria Alice Fernandes e Santa Catarina. No HMWG, as pedagogas Fátima Galvão e Luciana Nogueira, se revezam nos horários da manhã (na pediatria) e da tarde (no Centro de Tratamento de Queimados) realizando de forma lúdica e divertida, atividades que exploram o dia a dia da criança e a forma como ela percebe o mundo ao seu redor. Para isso, as professoras fazem uso de jogos, música, DVDs, pinturas, leituras entre outros atrativos. As aulas são ministradas de acordo com a grade curricular disponibilizada pela escola de origem da criança. Na maioria das vezes, as lições são aplicadas na brinquedoteca de cada setor. Mas, quando a criança não tem condições de se locomover, a explicação ou tarefa é realizada no próprio leito. Luciana revela que dentre as atividades que mais agradam aos pequenos estão a contação de histórias e as brincadeiras com fantoches. As vezes, porém, o trabalho pode ser dificultado, dependendo não só do estado de saúde, mas do humor das crianças. “Uma menina ontem estava muito chateada porque estava com dor. Por causa disso, ela não queria fazer a atividade. Aí utilizei um jogo de somar, que lembra muito um dominó, e a partir daí ela se estimulou e fez a tarefa”, conta. Por estar mais próxima dos pequenos (devido ao número reduzido de alunos, se comparado com uma sala de aula regular) a pedagoga afirma que o contato diário permite traçar o diagnóstico pedagógico e o nível de escolaridade em que a criança se encontra. Esse entendimento da realidade educacional ainda permite a elaboração de atividades mais específicas e o alcance de resultados mais rápidos. “Houve uma criança que conhecia as sílabas, mas que não as conseguia juntar. Por ser possível prestar essa atenção diferenciada, a criança saiu do CTQ lendo”, conta Luciana. Já para Fátima Galvão um dos fatores mais importantes do trabalho é saber que naquele espaço é possível manter o vínculo pedagógico. Ela destaca também que “quando a criança chega ao hospital, ela sofre um choque. Mas, depois, ela percebe que há outra realidade aqui, além de remédios e exames. Ela brinca, pinta, aprende. E tudo isso contribui para que a recuperação de seu quadro de saúde aconteça mais rapidamente. Esse também é um trabalho de resgate educacional, de reinserção no contexto escolar, sem prejuízos para a criança”, afirma. Um dos atualmente beneficiados com o Projeto é o pequeno Israel, de sete anos, internado há 35 dias na unidade pediátrica do terceiro andar. A mãe dele, Célia Maria Gomes Balbino, diz que durante o tempo em que está participando das aulas, seu filho até esquece que está em um hospital. “Aqui é muito bom porque ele se diverte muito, Tanto, que depois que entra, não quer mais sair. Se não tivesse essa classe ele ficaria muito inquieto”, afirma. Fátima conta que muitos casos marcaram esses três anos de Projeto. Mas um, ela sempre lembra com muito carinho. O menor, de nome Ranieri, foi aluno do Projeto há dois anos. Ao ser apresentado ao Classe Hospitalar foi logo dizendo que tinha aversão à matemática. A pedagoga relembra que começou a ensiná-lo a operar frações e a fazer cálculos de geometria, usando exemplos do dia a dia. “Dessa forma, ele viu como aprender matemática era fácil”. Pouco antes de sair de alta, em janeiro de 2014, Fátima fez um pedido ao aluno. Que ele ensinasse aos colegas o que havia aprendido. “Dias depois ele ligou, contando que nunca havia tirado uma nota tão alta em matemática, que eu era a mulher da vida dele e que havia ensinado tudo o que aprendeu aos colegas”. A ligação entre professora e paciente/aluno se estreitou de lá para cá e ambos, ainda hoje, mantem contato via redes sociais.

Mamutes morreram devido a abrupto aquecimento global, diz estudo

Um «abrupto aquecimento global, parecido com o registado na actualidade», foi uma das principais razões para a extinção em massa dos mamutes, indica um estudo publicado na sexta-feira por uma universidade australiana.

mamute250715

Os investigadores, que utilizaram técnicas avançadas para a análise de ADN e registo geológico, concordaram que uma série de rápidos e curtos eventos colocaram a Terra num aquecimento que propiciou o desaparecimento destes enormes mamíferos.
«Este abrupto aquecimento teve um profundo impacto no clima que causou fortes mudanças na precipitação global e nos padrões de vegetação», diz Alan Cooper, professor da Universidade de Adelaide e chefe da pesquisa, em comunicado.
Os especialistas refutam assim a morte por períodos máximos de frio e inclusive pela presença dos humanos, embora estes também tenham tido um papel importante.
«O aparecimento dos seres humanos aplicou o golpe de misericórdia numa população que já estava sob pressão», disse o especialista.
Os cientistas também alertam sobre a acção do homem no actual aquecimento do meio ambiente e as suas futuras repercussões em relação a uma possível extinção moderna.
Os mamutes habitaram predominantemente a América do Norte desde o seu aparecimento no Mioceno tardio até à sua extinção no final do Pleistoceno, há 11 mil anos.

Diário Digital

 

 

Desvendado mistério de cidade onde moradores caem no sono de repente

Um sono irresistível, que poderia se estender por dias, atingia moradores de uma vila no Cazaquistão. Finalmente cientistas parecem ter encontrado a resposta.

Sem motivo aparente, moradores da cidade caíam no sono de forma fulminante (Foto: BBC)
Sem motivo aparente, moradores da cidade caíam no sono de forma fulminante (Foto: BBC)

 

Um sono irresistível, que poderia se estender por dias, atingia moradores de uma vila no Cazaquistão. Finalmente cientistas parecem ter encontrado a resposta

Os 582 habitantes da aldeia de Kalachi chegaram a pensar que estavam amaldiçoados. Durante cinco anos olharam desconfiados para o céu, o ar, a água que bebiam. Suspeitaram até da vodca.
Uma doença estranha começou a tomar conta dessas pessoas: sem motivo aparente, caíam no sono de forma fulminante. E podiam passar vários dias assim.
Ao menos 120 moradores foram afetados. Os primeiros casos foram registrados em 2010, e se intensificaram a partir de 2013. O problema vinha em ondas: seis crianças dormiram em setembro de 2014 – no último inverno (no hemisfério norte) foram 60 pessoas.
O sono chegava repentinamente, de forma irresistível. “Dirigia minha moto em 28 de agosto e de repente caí no sono“, afirmou um morador ao site EurasiaNet.org. Foi acordar apenas em 2 de setembro. Como também ocorreu com o restante dos moradores, os médicos não souberam dizer o que ocorria.
Kalachi fica perto de um povoado fantasma que abrigou minas de urânio. As suspeitas sempre incidiram sobre essas minas.
Mas o mistério dessa aldeia do norte do Cazaquistão agora foi desvendado: uma combinação de monóxido de carbono e de partículas de hidrocarburetos na atmosfera é a culpada.
Depois de fazer exames em todos os habitantes, recebemos a confirmação dos laboratórios (…), a causa principal é o monóxido de carbono“, explicou o vice-primeiro-ministro do país, Berdybeck Saparbayev, em entrevista coletiva.
Quando o monóxido de carbono (CO) e os níveis de hidrocarbonetos (CH) aumentam, o oxigênio baixa e produz esses desmaios“, afirmou.

Minas de urânio

 

Kalachi fica perto de um povoado fantasma que abrigou minas de urânio. As suspeitas sempre incidiram sobre essas minas. (Foto: Russia today/BBC)
Kalachi fica perto de um povoado fantasma que abrigou minas de urânio. As suspeitas sempre incidiram sobre essas minas. (Foto: Russia today/BBC)

O quebra-cabeça estava no fato de as medições desses componentes serem normais, conforme explicou Sergey Lukashenko, um dos cientistas responsáveis pela investigação, ao jornal local “The Astana Times”.
“O interessante é que a doença do sono só se manifesta com a combinação de falta de oxigênio e excesso de CO e CH”, disse Lukashenko, que é diretor do Centro Nuclear do Cazaquistão.
Em Kalachi, o fenômeno só ocorria mediante certas condições atmosféricas.

Cada um desses três componentes separadamente se encontrava dentro do nível normal e nenhum deles parecia causar suspeitas; portanto, durante muito tempo não foi possível verificar a causa verdadeira“, disse.

O cientista afirma que a origem dessa contaminação está em Krasnogorsk, um vilarejo fantasma perto de Kalachi e que abriga uma grande mina de urânio.
A mina está fechada desde a queda da União Soviética, e Lukashenko deixou claro que o urânio ou qualquer radiação associada ao elemento não estão ligados às sonolências profundas.

O urânio não tem nada a ver com isso. Usaram um monte de estruturas de madeira quando a mina estava em funcionamento. Depois a mina foi fechada e se encheu de água, e quando a madeira entra em contato com a água se produz monóxido de carbono“, afirmou.

O monóxido de carbono começou a se infiltrar pouco a pouco até a superfície.
As famílias da aldeia estão sendo realocadas pelo governo.
Parece, então, que termina aqui a lenda de um povoado que já começava a ser conhecido no país como “Sleepy Hollow” (algo como buraco sonolento, em tradução livre), numa alusão ao clássico conto americano de terror.

Por G1

Presos na Lava Jato são transferidos para penitenciária

Entre os oito presos estão os presidentes das construtoras Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo

Otávio Azevedo, presidente da empreiteira Andrade Gutierrez, é um dos presos na Operação Lava Jato. Foto: Cassiano Rosário / Futura Press
Otávio Azevedo, presidente da empreiteira Andrade Gutierrez, é um dos presos na Operação Lava Jato. Foto: Cassiano Rosário / Futura Press

Os presidentes das construtoras Odebrecht, Marcelo Odebrecht, e da Andrade Gutierrez, Otávio Marques de Azevedo, além de outros seis investigados na Operação Lava Jato, foram transferidos, neste sábado (25), para o Complexo Médico-Penal, estabelecimento prisional estadual localizado em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba (PR). Os oito estavam presos na carceragem da Polícia Federal (PF) desde o dia 19 de junho.

A transferência, solicitada pela PF na última quarta-feira (22) e autorizada pelo juiz federal Sergio Moro, foi feita por volta das 10h deste sábado. O grupo foi transportado em uma van, acompanhada por escolta policial responsável por garantir a integridade dos oito presos.

Além de Marcelo Odebrecht e Azevedo, foram transferidos cinco executivos ligados à Odebrecht – Alexandrino de Salles Ramos de Alencar, César Ramos Rocha, João Antônio Bernardi Filho, Márcio Faria da Silva e Rogério de Araújo – e Elton Negrão de Azevedo Júnior, da Andrade Gutierrez.

Os oito executivos foram detidos, em caráter temporário, durante a 14ª fase da Operação Lava Jato, deflagrada no dia 19 de junho e batizada de Erga Omnes – expressão usada no meio jurídico para indicar que os efeitos de algum ato ou lei atingem todos os indivíduos.
Ao pedir a transferência dos oito presos, na quarta-feira, a PF informou a Moro que a medida era necessária devido à falta espaço na carceragem da Superintendência da PF na capital paranaense. “As instalações são limitadas, sendo capaz de absorver um pequeno número de presos, e a manutenção destes nas celas dificulta a operacionalização das autuações em flagrante e fragiliza a segurança do local em alguns momentos de excesso de custodiados”, alega o delegado federal Igor Romário de Paula no pedido de transferência.

Na sexta-feira, a Justiça Federal no Paraná decretou nova prisão preventiva de Marcelo Odebrecht, Rogério de Araújo, Márcio Faria da Silva, César Ramos Rocha e Alexandrino de Salles Ramos de Alencar. Em seu despacho, o juiz Sergio Moro justifica o novo pedido de prisão preventiva alegando que, após a detenção dos cinco executivos, surgiram novas provas do envolvimento deles no esquema de corrupção que desviou milhões de reais da Petrobras. Para Moro, a Odebrecht dispõe dos meios para “interferir de várias maneiras na coleta da provas, seja pressionando testemunhas, seja buscando interferência política” e a libertação dos investigados representaria um risco para a ordem pública. O novo pedido foi criticado pela defesa dos investigados.

Terra

Salesiano e Facex são os campeões do basquete 12 a 14 anos dos JUVERNs 2015

Equipe de Basquete do Salesiano
Equipe de Basquete do Salesiano

A equipe masculina de basquete do Colégio Salesiano, categoria 12 a 14 anos, sagrou-se campeã dos Jogos da Juventude Escolar do Rio Grande do Norte (JUVERNs 2015) neste sábado ao vencer o Colégio Contemporâneo pelo placar de 59 a 25, no ginásio da Facex. Na categoria feminino, o vencedor foi o Colégio Facex, com Mather Christi em segundo lugar e CEI em terceiro. Salesiano e Facex irão representar o basquete potiguar na fase nacional dos Jogos Escolares da Juventude, no mês de setembro, em Fortaleza. O secretário da Secretaria de Estado do Esporte e do Lazer do Rio Grande do Norte, George Câmara, participou da abertura das finais do basquete, juntamente com o professor Tibério Maribondo, da equipe técnica da SEEL.

Segundo economistas rombo na projeção da dívida bruta pode passar de R$200 BI.

Projeções da dívida bruta tem rombo de mais de R$200 bilhões
Projeções da dívida bruta tem rombo de mais de R$200 bilhões

 

 

Num cenário para as principais variáveis econômicas para o Brasil até 2018 que consideram realista, os economistas Vilma da Conceição Pinto e Lívio Ribeiro, do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre/FGV), estimam que o governo teria de gerar receitas não recorrentes – basicamente com a venda de ativos – de mais de R$ 200 bilhões em 2016 e 2017 para que a projeção da dívida bruta anunciada na quarta-feira, 22, fosse alcançada.

Uma venda de ativos desse porte provavelmente exigiria um robusto programa de privatização combinado com uma maciça venda de reservas internacionais.

Os economistas partem da trajetória de superávits primários do setor público consolidado e da dívida bruta para 2015, 2016, 2017 e 2018 anunciada na quarta-feira pelo governo: de, respectivamente, 0,15%, 0,7%, 1,3% e 2% do PIB; e 64,7%, 66,4%, 66,3% e 65,6% do PIB.

Num exercício inicial, eles calcularam qual seria a evolução da dívida bruta caso a trajetória da Selic, do IPCA e do crescimento do PIB até 2018 acompanhassem as projeções do Boletim Focus, que traz a mediana das expectativas de mercado.

Neste caso, a dívida bruta chegaria a 67,4% do PIB em 2018. Supondo que o governo cubra a diferença vendendo ativos em 2016 e 2017, seria necessário que a venda fosse de 0,9% do PIB em cada um dos dois próximos anos – em termos absolutos, isso significaria uma venda de R$ 56,4 bilhões em 2016 e de R$ 60 bilhões em 2017, usando as projeções do Focus para o PIB.

Vilma e Ribeiro, entretanto, consideram que as previsões do Focus para 2017 e 2018 são muito otimistas. É sabido que as instituições preocupam-se menos com as projeções de mais longo prazo do Focus, e que suas revisões são mais esparsas, o que leva a defasagens com o que é a percepção de momento do mercado.

Assim, eles estimaram a evolução da dívida bruta até 2018 para um cenário que julgam razoável, combinando previsões oficiais do Ibre, do Focus e hipóteses que arbitraram (e que não são oficiais do Ibre).

Os economistas frisam que não fizeram nenhum cenário oficial, mas apenas testaram hipóteses razoáveis para ter a sensibilidade dos parâmetros implícitos nas projeções do governo.

Neste cenário, o PIB cai 2,2% e 0,1% em 2015 e 2016, e sobe 1% e 1,5% em 2017 e 2018. A Selic de final de ano em 2015, 2016, 2017 e 2018 é de, respectivamente, 14,5%, 12%, 11% e 11%. Já o IPCA nos quatro anos consecutivos é de 9%, 5,4%, 4,6% e 4,5%.

Com essas projeções, a dívida bruta atinge 69,6% do PIB em 2018. Para que chegasse aos 65,6% projetados pelo governo, as receitas não recorrentes teriam de ser de 1,9% do PIB em 2016 e 2017 – em termos absolutos, de respectivamente R$ 117,8 bilhões e R$ 124,4 bilhões, num total de R$ 241,4 bilhões.

Se o governo conseguir receitas não recorrentes expressivas já em 2015, aquele número cai, devido à dinâmica da dívida. Por outro lado, ele pressupõe que toda a venda de ativos se conclua até 2017, o que, dado os volumes gigantescos, pode ser uma hipótese otimista.

A conclusão é que os números do governo não fecham a não ser com um colossal programa de venda de ativos, cuja factibilidade política, no caso das privatizações, ou de equilíbrio macroeconômico, no caso da venda de reservas, é muito discutível. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

FONTE: FOLHA CENTRO SUL