Família de C. Araújo entra com ação contra Zeca Camargo

Segundo advogada, valor de processo por danos morais será estipulado pela Justiça

Foto: Agnews/Divulgação
Foto: Agnews/Divulgação

A Família de Cristiano Araújo e a C.A. Produções, empresa que o cantor era sócio, decidiram entrar na Justiça por danos morais contra Zeca Camargo. A informação foi confirmada ao Terra nesta sexta-feira (17) pela advogada Fernanda Moreira, do escritório Mendonça Moreira e Prado. A decisão aconteceu após o apresentador ter feito uma análise criticando o sertanejo e a comoção com o falecimento do artista.
De acordo com a advogada, a petição foi protocolada na quinta-feira (16) no Fórum de Goiânia. Segundo o documento enviado à reportagem por e-mail, o texto do apresentador “foi escrito e interpretado de forma completamente preconceituosa, sem ao menos medir o peso que suas palavras teriam sobre os fãs, a família, amigos e sobre toda a cultura sertaneja de uma forma geral. É notório que a crônica tinha o cunho de denegrir a imagem não apenas do cantor, falecido e sem qualquer condição de se defender, como também da prórpria música sertaneja brasileira”.

O valor da indenização não foi estipulado pela família e será definido pelo juiz, segundo Fernanda. No caso de vitória na Justiça, o dinheiro será revertido para a Instituição Casa de Apoio São Luiz e à criação do Fundo de Apoio a Cultura Sertaneja, ainda de acordo com o texto da petição.

Zeca Camargo se envolveu em uma polêmica depois de ter feito uma crônica no Jornal das 10 , da GloboNews, no mês passado, onde criticou a comoção do público em relação ao acidente de carro, que provocou a morte de Cristiano Araújo e de sua namorada, Allana Moraes . O jornalista foi irônico ao ponderar uma suposta necessidade do brasileiro de precisar de uma tragédia para se unir. “Precisamos de novos heróis, mas estão todos ocupados pintando jardins secretos”, disse.

Terra

Ex-mulher do pagodeiro Ferrugem morre após lipoaspiração

Juliana Alves, ex-mulher do cantor de pagode Ferrugem, morre após lipoaspiração. (Foto: Reprodução)
Juliana Alves, ex-mulher do cantor de pagode Ferrugem, morre após lipoaspiração.
(Foto: Reprodução)

 

A assessoria de imprensa do pagodeiro divulgou um comunicado oficial falando sobre a morte da jovem. Os shows do cantor foram cancelados após a morte.

A família de Juliana, que tinha 27 anos e era mãe de uma menina de 3 anos, acusa o hospital de negligência médica. “Os procedimentos foram feitos todos de uma vez só. Depois das operações, ela teve uma alteração brusca de pressão, mas foi controlada. No mesmo dia, à noite, ela saiu do hospital com falta de ar. O médico disse que era normal, que em função da cirurgia ela precisaria aprender a respirar de novo, mas conforme o tempo foi passando só piorou”, disse Carlos Frambach, padrasto da vítima ao jornal ‘Extra’.

Segundo o padrasto de Juliana, na quinta-feira, ela estava com uma tosse seca e o médico indicou um xarope de mel e agrião. “Ela foi ficando pálida e não conseguia se levantar da cama. Ligamos novamente para o médico, que pediu para levarmos ela para o Rocha Faria. Chegando lá, fomos bem atendidos, mas ela já estava muito mal e foi internada no CTI, com embolia pulmonar”, disse ao ‘Extra’.

Carlos Frambach afirma que a clínica apresentava sinais de que não tinha estrutura suficiente para casos mais graves. “Estranhei porque lá não tinha um elevador em que coubesse uma maca. A Juliana saiu em uma cadeira de rodas, mas se alguém passa mal e sai em coma?”, questionou.

Correio da Bahia

Piloto da F-1 Jules Bianchi morre nove meses depois de acidente

O francês sofreu um grave acidente no Grande Prêmio do Japão de Fórmula 1 e sofreu lesão axonal difusa, um grave dano cerebral
O francês sofreu um grave acidente no Grande Prêmio do Japão de Fórmula 1 e sofreu lesão axonal difusa, um grave dano cerebral

 

O piloto francês de Fórmula 1 Jules Bianchi morreu nesta sexta-feira (17), após nove meses em coma em decorrência de um grave acidente no GP de Suzuka, no Japão. Ele tinha 25 anos. A morte foi informada pela família do piloto nas redes sociais, neste sábado (18).
“Jules lutou até o fim, como sempre fez, mas hoje sua batalha chegou ao fim. A dor que sentimos é imensa e indescritível”, afirmou a família. “Gostaríamos de agradecer a equipe médica do Centro Hospitalar Universitário de Nice [na França], que cuidou dele com amor e dedicação.”

“Gostaríamos de agradecer também aos amigos, fãs e todos que demonstraram afeição por ele ao longo dos últimos meses, o que nos ajudou a lidar com tempos tão difíceis. Ao ouvir e ler tantas mensagens, percebemos o quanto Jules tocou os corações de tantas pessoas pelo mundo”, dizia a publicação.

>> Cinco corridas inesquecíveis de Ayrton Senna

Em outubro de 2014, Bianchi, que era membro da equipe Marussia, perdeu o controle do carro e acabou se chocando contra um guidaste que estava na área de escape para retirar o veículo de outro piloto. Sob chuva, Adrian Sutil também havia saído da pista no mesmo local momentos antes.

De acordo com o jornal Folha de S. Paulo, esse foi o primeiro acidente fatal da F-1 desde a morte de Ayrton Senna, em maio de 1994.

A Federação Internacional de Automobilismo (FIA), declarou luto pela morte de Bianchi em comunicado, segundo informou a Folha. “O esporte perde um dos maiores talentos dessa geração de pilotos, procedente de uma família de longa tradição na história do esporte”, afirmou a entidade.

EK