Justiça na Praça: 160 casais dizem “sim” durante edição especial no Ação Global

6

O programa Justiça na Praça, do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Norte (TJRN), teve mais uma edição especial, neste sábado, 30 de maio, durante a realização do projeto Ação Global, que aconteceu no Centro de Atividades do Serviço Social da Indústria (Sesi-RN), no bairro de Lagoa Nova. Esta foi a sexta participação consecutiva do TJRN, por meio de seu Núcleo de Ações e Programas Socioambientais (Naps), no projeto realizado pelo Sesi e Rede Globo.
Criado em 1995, o Ação Global acontece uma vez por ano, num único dia, em todo Brasil para prestar serviços gratuitos à população. O Tribunal de Justiça potiguar levou serviços como o plantão jurídico, Ouvidoria e o casamento comunitário, que abriu e foi o ponto alto do evento, com a união civil de 160 casais.
Desta vez, o casamento coletivo foi marcado pela união de um casal portador de necessidades especiais, os primeiros, nesta condição, a participar do casamento comunitário. Cláudio Ferreira da Silva e Maria Suely da Silva, ambos com deficiência auditiva, foram acompanhados pelo intérprete, durante a cerimônia conduzida pela juíza Fátima Soares , titular da 1ª Vara de Família da Zona Sul de Natal. “Queremos facilitar o acesso de todos. A família é fundamental”, comenta a magistrada.
Oportunidade
Além deles, pessoas de todas as idades aproveitaram para selar, oficialmente, a união como casal. Os inscritos, cadastrados previamente nos cartórios de Igapó e do Alecrim, ficam isentos de pagar o valor de R$ 236, de acordo com a Lei Estadual nº 7.115, de 1983, que prevê a gratuidade dos casamentos a casais que ganhem uma renda inferior ou igual a dois salários mínimos.
A possibilidade de economizar ajudou na meta de ‘legalizar’ a união. Foi esse o caso do vigilante José Francisco da Silva e da artesã Dalvaneide Santana de Sousa. “Sempre tentamos juntar o dinheiro para esse passo, mas nunca dava. E com a cerimônia gratuita vamos poder realizar esse sonho”, comenta Francisco.
Situação semelhante também vivida pelo segurança Evaldo Silva Gomes, que se dirigiu ao evento na companhia da dona de casa, Ana Maria Silva. O casal aguardava melhor momento financeiro para oficializar a união, mas o orçamento doméstico não permitia. “Essa oportunidade gratuita veio para nos ajudar a legalizar esse passo”, comemora o segurança.
Credibilidade
A cerimônia foi aberta pela desembargadora Maria Zeneide Bezerra, coordenadora do Naps, na companhia do governador do Estado, Robinson Faria, do presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Norte (Fiern), Amaro Sales, dentre outras autoridades presentes.
Para a desembargadora Zeneide Bezerra, a participação do Tribunal de Justiça no evento representa a ampliação da credibilidade do Judiciário com a população. “É a Justiça que queremos. Aquela que chega perto do povo, não fica mais isolada. É um Judiciário com mais transparência”, avalia a desembargadora, que é coordenadora geral do Justiça na Praça e dos serviços e projetos incluídos no programa.

Via TJRN

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *