“Fui expulso à ‘dente de cachorro’ do meu local de trabalho” – Relata feirante jucurutuense

unnamed (1)A demolição do galpão da feira livre marcou e comoveu a cidade

Jucurutu, nos últimos dias, é uma cidade triste, camuflada pelo sorriso do seu deputado/prefeito, perguntando pelo prefeito eleito, este, segundo moradores acreditam que tem até pavor de ir lá.
Nos mais recentes mandos e desmandos do prefeito jucurutuense, quem pagou a conta foi quem menos tinha, os feirantes, que foram expulsos à“dente de cachorro” (como narrado por feirante que não quis se identificar) do seu local de trabalho que é o galpão da feira livre.
Por ironia do destino o deputado na mesma semana compra a causa dos antigos donos de cartórios do RN, propondo até indenizações (mesmo sabendo que o Estado não tem dinheiro pra nada) a esse pessoal que na sua maioria estão com a situação resolvida.
Mas a pergunta que fica é, por que o deputado ou seu filho não tiveram o mesmo empenho pra discutir a situação dos feirantes, comerciantes e cidadãos que faziam uso do já demolido galpão da feira livre? Por que o deputado sequer fez pronunciamento sobre isso?

Fica a reflexão da situação de quem teve de se conformar com a imposição imposta pela prefeitura de Jucurutu, na figura do seu prefeito, deputado, ou sabe-se lá quem.

Link da matéria: Deputado Nélter propõe comissão para dialogar com TJRN sobre antigos donos de cartório

Em tempo: À dente de cachorro é uma expressão antiga utilizada principalmente no interior que se refere a uma situação onde um individuo sofre uma imposição por parte de outro e tem de acatar sem chance de debater.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *