MPRN e MPF atuam juntos por intervenção judicial no Hospital do Seridó

Responsável pela administração do Hospital do Seridó, a Fundação e o Município estão sendo responsabilizados pelas péssimas condições estruturais e sanitárias e consequentes falhas no atendimento à população.

O Ministério Público Estadual do Rio Grande do Norte ajuizou, junto ao Ministério Público Federal, ação civil pública contra a Fundação Hospitalar Doutor Carlindo Dantas, responsável pela administração do Hospital do Seridó, e contra o município de Caicó devido às irregularidades no funcionamento da unidade de saúde, que já levaram à morte três parturientes e dois bebês.

O Hospital do Seridó é o único que presta assistência materno-infantil para uma população de 13 municípios da região. Atualmente, tramitam na Promotoria da Comarca de Caicó cinco Inquéritos Civis os quais investigam as péssimas condições estruturais e sanitárias além de falhas graves no atendimento à população.

Os depoimentos colhidos pelo Ministério Público revelam ausência de avaliação médica no momento da chegada das gestantes à urgência do hospital quando são recebidas por enfermeiras ou parteiras; negativa de atendimento médico por encontrar-se dormindo o médico plantonista; falta de assistência nos leitos de urgência, chegando uma paciente, com hemorragia, a ter seu bebê dentro do banheiro, sem nenhum profissional para dar suporte.

Para o MPRN e MPF, o município de Caicó também é responsável pela situação uma vez que permite que os serviços de saúde oferecidos na região se deem em condições tão precárias, pondo em risco a vida de seus usuários. “A ausência do município tem ocasionado o maior de todos os danos: a própria aniquilação dos direitos de gestantes e bebês, com os vários eventos de mortes lá ocorridos”, alegam na Ação conjunta.

A Ação conjunta pede que seja decretado a imediata intervenção judicial na Fundação Dr. Carlindo Dantas, por um prazo de 180 dias, e o afastamento por completo da fundação da gestão do Hospital do Seridó, para que o Município assuma definitivamente os serviços de assistência médico-hospitalar ofertados no hospital.

MPRN

Casal gay é preso no Marrocos por se beijar em público

Dois homens marroquinos que se beijaram em público foram presos e uma espanhola foi expulsa do país, informaram as autoridades marroquinas nesta quinta-feira (4), um dia após a ação do grupo Femen contra a criminalização da homossexualidade no Marrocos.
O ministério do Interior marroquino indicou em um comunicado que dois cidadãos do país foram presos por “exposição indecente”.
No Marrocos, o artigo 489 estipula que a homossexualidade é passível de uma pena de até três anos de prisão.
Os dois homens presos beijaram-se na esplanada da Torre Hassan, que tem vista para um minarete muito simbólico de uma mesquita em Rabat, informou o site Goud.
Na quarta-feira (4), duas francesas do Femen protestaram mostrando seus seios e beijando-se no mesmo local.
Detidas no aeroporto de Rabat após a ação, foram expulsas para a França com a “proibição de entrar no território” marroquino.
Além disso, o ministério do Interior informou que uma espanhola foi presa por apoiar a ação dos Femen e foi expulsa na quarta-feira.
As autoridades marroquinas também denunciaram “uma série de manobras provocativas e de assédio realizadas por organizações estrangeiras contra as leis marroquinas, o que vai de encontro aos princípios sociais e religiosos, e minam a moral”.

 

Terra

Turista brasileiro morre afogado ao praticar stand up paddle na Suíça

Um turista brasileiro de 30 anos morreu, na quarta-feira, na Suíça, ao cair da prancha enquanto praticava stand up paddle em um lago próximo à uma estação de tratamento de água, na cidade de Lutry, de acordo com o “The Local”.

Segundo o site, autoridades locais foram alertadas que um homem estava em risco depois de cair de sua prancha, enquanto praticava stand up paddle. Equipes de resgate, além de um helicóptero, foram encaminhadas ao local, mas já encontraram o brasileiro sem vida, embaixo d’água.

A identidade do brasileiro não foi revelada. Ele estaria na Suíça para visitar um amigo. O Ministério das Relações Exteriores informou que está em contato com o Consulado do Brasil em Genebra para saber detalhes da morte.

Com informações da BandNews